REGRAS DE SER

Pelo verbo que vou fazer. 

No substantivo que venho sendo. 

Entre os adjetivos que sou conhecido. 

Em hiato permaneço tão perdido. 

Não quero ser gramatica e novamente ser esquecido. 

EM UMA HORA QUALQUER

Minuto, que passa mudo.

Que passa trazendo o próximo.

Proseando com cada segundo, passado.

Segundo, que segundo ele passa devagar.

Insistente em dizer que cada minuto tende a te carregar.

E em uma hora qualquer tende a te levar.

TENTE

De longe lhe vejo, com tanto desejo.

Eu vou passar, não vou cumprimentar.

Não se trata de medo, é cuidado.

Já trilhei tantos rastros, eu conheço.

Se não parece certo, tente.

Descubra tantas vertentes, não será acidente.

Quando se conhece o fim, é bom evitar os meios.

QUANDO FALEI QUE SERIA MELHOR…

Não sentia o frio que o inverno trás.

O coração apertar ou falta de ar.

Não sabia o comprimento da estrada, eu podia voar.

Que o clichê atual, são estórias de acabam mal.

Quando falei que seria melhorTudo era tão normal.

Não sabia que casa vazia não faz barulho.

Que havia para mim um lugar em cima do muro.

Não deitava junto a lembranças.

Eu costumava sonhar

O QUÊ EU ESPERO DE VOCÊ?

Um beijo um abraço, aperto de mãos apertado, certezas de quem sabe o que quer.

Beijo estalado, um caminhar desajeitado, insinuas de uma quase mulher.

Acordar bem cedo e olhar para o espelho, lembrar que tu ainda esperas um beijo antes de se levantar.

Despertar do desespero, correr contigo bem cedo, saber que tenho com quem dividir fatias de queijo no café da manhã.

Compartilhar medos e segredos, frustrações e desapegos, alusões de um falhar.

Um amigo, um amor, para que eu possa mostrar ao mundo que aprendi a amar e quem amar.

Que não minta minha falta, que relate o fardo e que chore o desagrado.

Que me ensine a ser homem, como andar e o que contigo buscar.

Certezas em meio às incertezas, carências e tristezas, nesse jogo de um só par.

Mostrar-me um bom vinho, uma peça memorável, o altar dos altares onde possamos reinar.

Sorrir e chorar, dançar e pintar, recitar poemas sobre ioiôs.

Ensinar-me tudo deste louvor e descobrir que tudo isso junto, se chama amor.

HI-A-TO

Corro por uma folha em modo difuso.

Perdendo-me ao longo de um pensamento, presumo.

Anotações perdidas em notas que nem notei.

São pesquisas de uma madrugada que ali deixei.

Dessa madrugada não sairá nada.

Talvez eu nem saia para esta madrugada.

Será esta outra noite a me encontrar com velhos hábitos?

Ou talvez eu apenas precise rever todos esses fatos?

TEU OLHAR

Deixei-o deitar sobre o meu.

Não hesitei…

Deixei-me deitar também.

Tua retina retém meu corpo…

Em meio à cegueira, não me importo com o que venha.

Apenas leve-me, sou teu.

Sou seu em teu próprio olhar.

Insisto a vagar, não sei aonde vai me levar.

Continue a guiar, pois não quero voltar a enxergar…

PASSANDO NO PASSADO

No passado esteve…

Tudo o que nos fez sonhar e hoje nos acordou.

Aquilo que nos fez chorar e que hoje por nós chorou.

Tudo aquilo que nunca fez sentido e hoje ainda procura.

Cada espírito sofrido em busca de uma coisa mais pura.

Toda palavra dita, momento e toque de quem hoje não passa disso.

Todas as certezas confortantes e irônicas que ainda hoje, não fazem sentido.